• O Antagônico

A CBF. Helder e o Ofício. O Jogo do Brasil Cancelado. A FPF e o Bloqueio de Repasses



Como já era de se esperar, o Mangueirão não vai mais receber o jogo entre Brasil e Argentina, pendente pelas Eliminatórias Sul-Americanas pela Copa do Mundo de 2022.


O anuncio foi feito pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em ofício enviado ao governador do Pará, Helder Barbalho. E a explicação é óbvia: o quiprocó que se tornou a eleição para eleger a nova diretoria da Federação Paraense de Futebol.


No ofício, que reforça a fama de Helder como “pé-frio”, a CBF informa o cancelamento da visita técnica da diretora de infraestrutura e patrimônio da CBF, marcada para o dia 14 de junho. No documento a entidade deixa claro que o motivo da não ida da representante é pelo fato da FPF ainda não ter definido um novo presidente.

“A razão desse cancelamento reside no fato de que a Federação Paraense de Futebol (FPF), que é a entidade regional de administração responsável pelo futebol no Estado do Pará, não se encontra regular perante a CBF, uma vez que ainda não foram realizadas as eleições, no prazo estipulado nos Estatutos da FPF, para provimento dos cargos de presidente, vice-presidentes e membros do Conselho Fiscal.”

Diz o ofício repisando os sucessivos cancelamentos das eleições da FPF.

“Como ainda não houve o devido preenchimento dos cargos diretivos da FPF por meio de eleições devidamente convocadas e realizadas, a entidade local não se encontra regular perante a CBF, o que, nos termos de nossos regulamentos, inviabiliza a inspeção a ser realizada, que deveria contar com a participação efetiva de membros da federação local, devidamente constituídos”

diz o comunicado da CBF.

A bem da verdade, Helder já sabia que entre Brasil e Argentina não iria mais ocorrer na capital paraense. Isso porque, antes de receber o ofício da CBF, durante o programa “Bem, Amigos!”, do SporTV, Galvão Bueno informou em primeira mão que o duelo será marcado para a Neo Química Arena, em São Paulo. A informação foi repassada a Galvão pelo próprio presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues. E depois da queda ainda teve o coice. A CBF mandou oficio à presidente em exercício da FPF, Graciete Maués, informando que enquanto não houver o devido preenchimento dos cargos diretivos da Federação, por meio de eleições regularmente convocadas e realizadas, a FPF estará em situação irregular perante a CBF, não fazendo jus ao recebimento dos repasses financeiros proporcionados pela entidade às Federações em situação regular. Veja abaixo os a cópia dos ofícios enviados ao governador e a FPF:











500 visualizações0 comentário