• O Antagônico

A Janela Partidária. Helder. As Exonerações. A Hanna de Vice. A Disputa pela Casa Civil



Com vistas às eleições de outubro, o Diário Oficial do Pará trouxe, em edição extra, um festival de exonerações e nomeações. A principal delas é a de Hanna Grassan Tuma, que deixa a Secretaria de Planejamento para “candidatar-se a cargo eletivo”. No lugar de Hanna foi nomeado o adjunto Ivaldo Renaldo de Paula Ledo.


Hanna seria a escolhida para ser vice de Helder, no lugar do deputado Francisco Melo o “Chicão”. Mas o martelo ainda não está batido e ainda tem muita água pra rolar debaixo dessa ponte. Isso porque, circulam rumores que o Ministro Francisco Falcão, do STJ, teria autorizado uma nova fase da operação que, em 2020, prendeu três secretários de estado e vasculhou a residência do governador e o Palácio dos Despachos. Os rumores dão conta de fatos novos, com áudios bombásticos.


Caso se confirme a nova investida da Polícia Federal o tabuleiro político, hoje totalmente favorável ao filho de Jader Barbalho, pode mudar radicalmente e flores podem se tornar espinhos. Voltando às portarias, foi exonerado, com vistas a candidatura, Iran Lima, da Chefia da Casa Civil.


Nesta segunda feira, 04, o Diário Oficial deverá publicar portaria com o nome do novo chefe da Casa Civil. Estão no páreo Luziel Guedes, atual chefe de gabinete de Helder, e Renata Mirella Coelho, Diretora Geral do Detran. Os outros exonerados são João Chamon Neto, do cargo de Secretário Regional de Governo do Sudeste do Pará, Carlos Maneschy, Secretário de Ciência, Tecnologia e Educação superior, Profissional e Tecnológica; assumindo a vaga Edilza Fontes, ex-secretária adjunta; José Francisco de Jesus Pantoja Ferreira, Secretário de Justiça e Direitos Humanos, dando lugar ao adjunto, Valbetanio Milhomem; Tercio Júnior Sousa Nogueira, o “Soldado Tércio”, do cargo em comissão de Diretor Geral do Núcleo de Gerenciamento do Programa de Microcrédito Credcidadão, assumindo o cargo João Marcel Cavalcante; Henderson Pinto, do cargo de Secretário Regional de Governo do Baixo Amazonas, Jarbas Vasconcelos, do cargo de Secretário de Administração Penitenciária, assumindo o cargo o delegado da Polícia Civil, Samuelson Yoiti Igaki, apadrinhado do “General”; Ursula Vidal, Secretária de Cultura, passando o bastão para o adjunto Bruno Chagas da Silva Rodrigues Ferreira; Jorge Panzera, do cargo de presidente da Imprensa Oficial do Estado, assumindo a pasta Aroldo Carneiro; Giovanne Queiróz, do cargo de Secretário Extraordinário de Produção, assumindo o posto João Carlos Leão Ramos.


Por outro lado, apesar de muita especulação, permanecem nos cargos o comandante geral da PM, o coronel Dilson Júnior e a Secretaria de Educação Elieth Braga.


Em outro giro, com o fechamento da janela partidária, oito deputados estaduais mudaram de partido. São eles Paula Gomes, PSD, Diana Belo, PDC e ÂAngelo Ferrari, PTB, indo todos para o MDB. Junior Haje, PDT, Luth Rebelo, PSDB e José Maria Tapajós, PL, foram para o PP. A Doutora Heloisa Helena foi do DEM para o PSDB e Jaques Neves desembarcou do PSC indo para o União Brasil.


Na esfera federal Celso Sabino, eleito pelo PSDB, foi para o União Brasil; O Delegado Eder Mauro e Joaquim Passarinho desembarcaram do PSD, rumo ao PL. Eduardo Costa deixou o PTB pelo PSD. Olival Marques, que foi eleito pelo DEM, migrou para o MDB e Cristiano Vale deixou o PL pelo PP.


O Delegado Caveira, eleito pelo PP e agora filiado ao PL, Miro Sanova (PDT) e Dilvanda Faro (PT), juntamente com Renilce Nicodemos, agora no MDB, vão tentar uma vaga na Câmara Federal. Márcio Miranda, que disputou o governo do Pará em 2018 saiu do DEM e se filiou ao PTB, partido que está afinado com Helder Barbalho. Miranda será candidato a deputado Federal.

1.811 visualizações0 comentário