• O Antagônico

A Juíza. A Suspeição. O Escritório Baglioli. O Pedido de Providências e o Arquivamento



Não convide para dividir uma maniçoba a juíza Rosa de Fátima e os advogados do escritório Baglioli !! Explica-se: A Corregedora Geral do TJ do Pará, desembargadora Rosileide Cunha, arquivou um Pedido de Providências protocolado pelo escritório de advocacia Baglioli Dammski Bulhões & Simões Advogados Associados contra a juíza Rosa de Fátima Navegantes de Oliveira, titular da 7ª Vara de Família da Capital. No pedido, o escritório alega que a magistrada, sem motivo justificado, se julgou suspeita em diversos processos envolvendo o escritório, sem esclarecimento aos advogados a respeito da suspeição alegada.


Instada a se manifestar, a juíza, matou a cobra e mostrou o pau, informando que em 2019, mais precisamente nos autos de nº 2019.6.002147-1, apresentou perante a Corregedoria, requerimento, do próprio escritório, para que se julgasse suspeita em todos os processos envolvendo o Baglioli Dammski.

“O escritório reclamante age em completo VENIRE CONTRA FACTUM PROPRIUM, que agrega duas atitudes, da mesma pessoa, lícitas entre si e diferidas no tempo. Assim, é totalmente contraditório que em 2019 o referido escritório ingressasse com reclamação perante este órgão para que esta magistrada se julgasse suspeita em todos os seus processos, e quando tal foi feito, ingressa novamente com reclamação, desta vez requerendo providências sobre as declarações de suspeição.” Frisou a juíza em seus esclarecimentos.
317 visualizações0 comentário