• O Antagônico

A Morte da Juíza. A Sobrinha. As Imagens. O Suicídio Confirmado. O Traslado do Corpo



“Não há dúvida que foi suicídio”. Essas palavras, proferidas pela advogada Monique Andrade, sobrinha da juíza paraibana Mônica Oliveira, encontrada morta com um tiro no peito dentro do carro do marido, o juiz paraense João Augusto de Oliveira Júnior, na manhã de terça-feira, 17, encerram rumores e ilações sobre a morte da magistrada. Agora, a polícia trabalha para tentar descobrir as motivações do suicídio. O aparelho de telefone celular da magistrada ainda não foi liberado pela perícia.


Em áudio enviado a O Antagônico, (publicado abaixo), Monique afirma que depois de ver as imagens das câmeras de segurança do prédio onde ocorreram os fatos, ficou convencida de que a sua tia tirou a própria vida. No áudio, Monique, que veio da Paraíba, juntamente com o noivo, para providenciar o traslado do corpo da juíza para sua terra natal, disse que as autoridades paraenses lhe apresentaram as imagens do prédio, por vários ângulos, onde é possível ver, de forma inequívoca, o que ocorreu dentro do carro.


Monique disse ainda que, para que não pairassem dúvidas sobre o que viu, solicitou que duas juízas paraenses, amigas da magistrada, também vissem os vídeos.

“Achei importante que pessoas que não fossem da família também visse as imagens, para dissipar qualquer dúvida”.

Disse Monique.


“As imagens revelam ela saindo do apartamento com algumas malas. Ela caminha lentamente pelo estacionamento, até o carro. Depois se direciona para o banco do passageiro, na frente do veículo. Depois de longos minutos, ela comete suicídio. É nítido. É claro. Não há dúvida”,

afirma Monique Andrade.


A arma utilizada pela juíza é de propriedade do marido, o juiz João Augusto, que atribui o gesto da esposa a um “momento de fraqueza”.


De acordo com a sobrinha, a juíza Mônica de Oliveira fazia acompanhamento psicológico e uso de algumas medicações. Um avião trasladando o corpo de Mônica de Oliveira decolou da capital paraense no final da tarde. O sepultamento ocorrerá no final da manhã desta quinta-feira, 19, em Barra de Santana, na Paraíba, local de nascimento da vítima. Antes de seguir para a Paraíba, o corpo foi velado em Belém em uma capela no bairro do Umarizal. OUÇA ABAIXO O AÚDIO DA SOBRINHA DA JUIZA ENVIADO A O ANTAGÔNICO:


https://drive.google.com/file/d/1SUjlR42fPDxhKdyGiseajaHr7H1f0IpI/view?usp=sharing



1.010 visualizações0 comentário