• O Antagônico

A OAB. A Vaga do Quinto. A Procrastinação do Edital. O Imbiriba. O Centeno e o Condurú



Continua rendendo poucas e boas a postura da OAB do Pará, leia-se, Eduardo Imbiriba, na procrastinação da divulgação do edital com as regras para a escolha dos nomes dos advogados aptos a concorrer a vaga do quinto constitucional da ordem, aberta no TJE do Pará com a aposentadoria do desembargador Milton Nobre. A demora injustificada tem gerado a inquietação da classe de advogados. É o caso de Sávio Barreto, que bateu às portas da presidência do TJ, pedindo informações sobre a data em que o tribunal informou a OAB sobre a vacância.


Para não meter a mão em cumbuca, Célia Regina, presidente do TJ, depois de fazer uma explanação sobre a Lei de Acesso a Informação, base do pedido de Sávio Barreto, atendeu prontamente a demanda do advogado, informando que a aposentadoria voluntária por tempo de contribuição do desembargador Milton Nobre foi publicada Diário da Justiça no dia de 28 de outubro de 2021, sendo que o ofício foi enviado ao então presidente da OAB do Pará, Alberto Campos, no dia 10 de novembro do ano passado.


Vale lembrar que o provimento n.º 102 do Conselho Federal da OAB estabelece o prazo de 30 dias para o Conselho Seccional publicar o edital de abertura do certame do quinto constitucional, após a comunicação formal da vacância da vaga. Dizem alguns que Eduardo Imbiriba estaria tentando empurrar a escolha, na cara dura, para o ano que vem. Outros apostam que tudo é pura política e jogo de poder, com pitadas de “estrelismo” de Imbiriba.


Opiniões e divergências à parte a verdade é que, como o edital está previsto para ser publicado sabe-se lá quando, a lista de desembargáveis só cresce. E os gastos de dinheiro, tempo e sola de sapato dos candidatos também. Fontes próximas ao governo, no entanto, dizem que Helder Barbalho não abrirá mão de nomear um parente, leia-se Alex Centeno, para sentar na cadeira em disputa. E parentesco no serviço público, como até as pedras sabem, é o número que Helder calça.


Mas, porém, contudo, ainda estão rolando os dados. E, pelo visto, se depender de Eduardo Imbiriba, o jogo ainda vai ter intervalo, segundo tempo, prorrogação e, se duvidar, pênaltis. A bem da verdade, como diz um conhecido jurista, muitos candidatos que estão cruzando o Pará de norte a sul, estariam, na verdade, de olho na próxima vaga, criada por resolução do TJE do Pará, com preenchimento já no ano que vem.


Nos bastidores, o que se diz é que a vaga será mesmo de Alex Centeno, bicudando a pretensão de Imbiriba de ter um desembargador pra chamar de seu. É ai que entra em cena outro personagem: Diogo Condurú, que ocupa atualmente uma vaga de juiz no TRE. Condurú, que de bobo não tem nada, não chega a empolgar, porém tem muita gente nas mãos e sabe de muita coisa e do que muitos fizeram “no verão passado”. Diogo sabe que, uma vez no TRE, vai ser muito útil para Helder Barbalho. E a moeda de troca seria justamente a próxima vaga ao desembargo, deixando esta, tão disputada, para Centeno.


Com efeito, Imbiriba que já solicitou urna ao TRE para a eleição da vaga do quinto, e que também, como até as pedras, já sabe da resposta negativa da corte, diante da eleição estadual de outubro, deverá encarar o desgaste de empurrar o pleito para o ano que vem. Tudo redondinho. Falta só combinar com os russos !!

1.245 visualizações0 comentário