• O Antagônico

A PF e as Licenças Ambientais. A Operação de Busca e Apreensão em Belém


Um esquema de fraude na emissão de licenças mineral e ambiental foi alvo foi alvo de seis mandados de busca e apreensão pela Polícia Federal (PF) na manhã desta terça-feira (23) em Belém, e em Macapá e Tartarugalzinho, no Amapá. Trata-se da 5ª fase da operação Estrada Real investiga a participação de um servidor público nas irregularidades. A identidade dos investigados não foi informada, mas a PF justificou que a ação aconteceu com base em indícios coletados em outra ação, a Ouro de Tolo, feita pela Polícia Civil do Amapá, que prendeu mineradores exercendo a atividade ilegal.

Desde 2017, a operação Estrada Real vem investigando a exploração ilegal de recursos ambientais no Amapá. Na primeira fase, a PF desarticulou um garimpo ilegal em Tartarugalzinho, onde garimpeiros invadiram uma área e retiravam ilegalmente o ouro.

O responsável do garimpo cobrava cerca de 30% do ouro extraído. A PF confirmou na época que o empresário era Altamir Rezende, conhecido como “Mineiro”, que já foi prefeito de Tartarugalzinho na década de 1990. Mineiro morreu em 2020, de Covid-19. Ele é pai do ex-deputado estadual, Bruno Mineiro, que atualmente é prefeito do município. Em fevereiro de 2018 foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa de Bruno.

261 visualizações0 comentário