• O Antagônico

A prefeitura de Santarém, A Câmara Municipal, O Nepotismo Cruzado e o Parentesco Institucionalizado



A prefeitura de Santarém, em dobradinha com a Câmara de Vereadores, está desobedecendo, de forma acintosa, decisão da justiça que proíbe a contratação de parentes. Acatando a Ação Civil proposta pelo Ministério Público, em 2019, a justiça determinou que o município de Santarém e a Câmara Municipal cumpram integralmente a Súmula Vinculante nº 13, quanto a vedação de nomeação de cargos em comissão, sob pena de nulidade dos atos de nomeação. Pois bem. Ocorre que os dois poderes estão literalmente, desobedecendo a ordem emanada pela justiça.


E a lista de pendurados na administração pública e na casa de leis é extensa. A vereadora Alba, que é enfermeira, empregou o marido, Wagner da Silva Maciel, e o companheiro da filha, Venício Pereira Silva. O Secretário de Cultura, Luiz Alberto, o “Pixica”, empregou a filha, Anna Luisa de Sena Figueira, como procuradora do município. E “Pixica” foi mais longe. Empregou também o filho, João Luís de Sena Figueira, na Câmara Municipal. A Senhora Maria de Fátima Lima Pereira, tia da Secretária de Finanças, Maria Josilene Lira Pinto, também está empregada na prefeitura. O irmão da secretária, Adson Lira Pinto, já é servidor da Secretaria de Educação.


É o tal negócio, no lema do prefeito Nélio Aguiar e do presidente da Câmara, Ronan Liberal Júnior seguem firmes e fagueiros a máxima que diz “Mateus, primeiro os meus”. E o Ministério Público, que já foi bem diligente em relação a malversação de recursos públicos, leia-se Operação Perfuga, que levou muita gente para a cadeia, agora parece não enxergar o que salta aos olhos.

410 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo