• O Antagônico

A PRF e a Prisão do Major da PM. O Juiz e a Tentativa de Homicídio


Já está recolhido em uma cela do Quartel da PM de Capanema, o major Erinaldo Silva Costa. O Mandado de Prisão Preventiva, foi expedido pelo juiz de Capanema, Júlio Cezar Fortaleza de Lima. O caso foi publicado, com exclusividade, na semana passada, por O Antagônico.


Na condição de foragido, Erinaldo Silva foi abordado pela Polícia Rodoviária Federal em Santa Maria do Pará, que ao checar o nome do oficial, encontrou o Mandado contra o mesmo, que recebeu voz de prisão.


O major é acusado da prática dos crimes de disparo de arma de fogo, dirigir veículo automotor sob influência de álcool e lesão corporal. No dia 01 de agosto de 2020, em Capanema, no interior do bar "Asgard", o major lesionou fisicamente Arnon José de Sousa Amaral, por conta de uma discussão envolvendo o assento em uma mesa, bem como efetuou disparos de arma de fogo visando matar o investigador de polícia Paulo Roberto do Mar Guerreiro, que tentou apartar o entrevero, além de fugir do local alcoolizado conduzindo seu veículo automotor, tendo logo após colidido contra o muro de uma residência.

Além disso, narram os autos, no dia 24 de outubro de 2020,no bar e restaurante "La Casona", o major, acompanhado de seu irmão Erenildo Silva Costa, abordou o nacional Paulo Victor Silva Guerreiro, filho do investigador Paulo Guerreiro) quando este se dirigiu ao banheiro do estabelecimento, oportunidade em que passou a proferir ameaças contra a testemunha, além de quebrar seu relógio de pulso arremessando-o contra a parede, tendo o irmão do oficial agredido a vítima com dois fortes tapas no rosto. Não satisfeitos, ambos seguiram o ofendido até o seu carro e, durante o trajeto, proferiram mais xingamentos, ameaças e intimidações.

397 visualizações1 comentário