• O Antagônico

A Seaster. O Abrigo Lar da Providência. O Procurador do Trabalho e as Denúncias



O procurador do trabalho Hideraldo Luis de Sousa Machado enviou ofício à Secretaria de Estado de Assistência Social de Trabalho, Emprego e Renda (SEASTER), solicitando esclarecimentos sobre denúncias protocoladas no MPT, apontando atrasos abusivos no pagamento dos salários dos colaboradores eventuais do Abrigo Lar da Providência.


A Notícia de Fato apresentada afirma que o critério de contratação para trabalhar no abrigo como cuidadores de idosos é a indicação política, sendo que é informado aos interessados em ocupar as vagas, que o salário seria de R$ 1.700,00, no entanto é repassado para a conta dos colaboradores o valor de R$ 1.450,00.


Além disso, a denúncia também aponta para outras graves irregularidades como ausência de EPls, como por exemplo, coletes para colunas, tendo em vista que os funcionários precisam carregar os idosos e isso ocasionam lesões na coluna; falta de botas para todos os funcionários, sendo que alguns dão banho nos idosos de sandália. Em relação ao avental hospitalar descartável, a denúncia afirma que também há falta em certos períodos, sendo os servidores obrigados a utilizar o mesmo avental para dar banho em vários idosos, quando o correto seria um para cada banho realizado.


De acordo com o denunciante existem constantes atrasos de repasses da SEASTER para o abrigo e, em razão disso, faltam fraudes e medicamentos. E não é só isso. O diretor do abrigo seria ausente, comparecendo ao local somente em situações limítrofes, sendo uma delas a fuga de dois idosos.

Em resposta enviada ao procurador, o Secretário de Estudo de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Valdo Divino da Silva Filho, rechaçou todos os pontos da denúncia, frisando que a ex-funcionária Jamilly Christh dos Santos Costa era somente colaboradora eventual para um período de 90 dias para auxiliar a equipe que compõe os abrigos durante a pandemia considerando a redução do quadro funcional onde muitos foram afastados de suas funções (ou faziam parte do grupo de risco ou foram infectados) e desse episódio veio a necessidade de substituição.

156 visualizações1 comentário