• O Antagônico

A Venda de Sentença. Os Juízes Acusados. O PAD. O Laudo e o Renato Chaves




O Desembargador Mairton Marques Carneiro, que preside o Processo Administrativo Disciplinar contra os magistrados Marco Antonio Castelo Branco e Raimundo Moisés Alves Flexa, no caso envolvendo suposto recebimento de propina, por parte do ex-prefeito de Santa Luzia do Pará, Adamor Ayres, em atenção à necessidade de cumprimento do prazo estabelecido pelo Conselho Nacional de Justiça, para a finalização do Processo Administrativo, bem como, levando em consideração que se trata apenas de uma complementação do exame pericial já realizado, enviou oficio ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves pedindo celeridade na realização, elaboração e entrega do laudo.



O caso

O Ministério Público do Pará pediu ao Tribunal de Justiça do estado a abertura de um inquérito para apurar a suspeita de que dois magistrados teriam recebido propina para dar sentença em favor de um político afastado do cargo. Os juízes Raimundo Moisés Alves Flexa e Marco Antônio Lobo Castelo Branco foram acusados de terem recebido propina para evitar condenação do ex-prefeito de Santa Luzia, Adamor Aires, que respondia a processo por suspeita de compra de votos. O caso surgiu em julho de 2019, após a divulgação em redes sociais de um áudio em que Adamor Aires relata o suposto envolvimento dos magistrados no esquema de venda de decisões.

350 visualizações0 comentário