• O Antagônico

A Vovó Metralha. O Gaspar Viana. O Delegado Caveira. Os Jardineiros e a Farra dos Plantões



Um pronunciamento do deputado estadual Delegado Caveira, na tribuna da Alepa, balançou as estruturas do Estado, trazendo à tona a denúncia de que uma organização criminosa está no comando do Hospital das Clínicas Gaspar Viana. O deputado, diz que a chamada “Máfia dos Respiradores” só mudou de endereço. Segundo o parlamentar, desde julho de 2020 os exonerados da Sespa, após a operação Parabellum, estão à frente da gestão do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna.

“O que impressiona é que mudou só o endereço, mas as práticas criminosas são as mesmas: Fraude e direcionamento de licitações, favorecimento de empresas em inúmeros processos de dispensas de licitação, vazamento de propostas de licitações pagamento antecipado de fornecedores amigos, ‘farra de plantões', entre outros crimes de dilapidação do patrimônio público.”

Diz Kaveira frisando que com a nomeação de Ivete Gadelha Vaz, à presidência do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, o hospital passou a ser alcunhado como “Fundação Vovó Metralha”, sendo que Ivete, figura conhecida no meio político e empresarial, escolheu a dedo servidores comissionados e efetivos colocando-os em cargos estratégicos do Gaspar Vianna.


“A astuta Ivete Gadelha Vaz, ao assumir a presidência do hospital trouxe consigo sua experiente equipe de trabalho (experiente na arte de saquear os cofres públicos) e os colocou em praticamente todos os setores da fundação, para assim dar andamento ao que essa quadrilha sabe fazer de melhor, fraudar processos licitatórios e se beneficiar dos cargos públicos que ocupam.”

Diz a denúncia do deputado alertando que a quadrilha que se instalou no HC está torrando milhões, através do Fundo de Financiamento da Caixa Econômica Federal, o Finisa, sendo que a turma de Ivete deixará para o próximo gestor do Gaspar Viana uma dívida astronômica.


Segundo Caveira, a organização criminosa que se estabeleceu no Hospital de Clínicas é composta pelos seguintes membros:


  • José Paulo Nascimento Cruz, o “Paulo Cruz” - Assessor e pessoas de confiança de Ivete, lotado na diretoria administrativa e financeira, sendo responsável pelo aliciamento das empresas, do direcionamento dos processos licitatórios (principalmente no que se refere a serviço);


  • Edney Mendes Pereira - Responsável pelos processos da farmácia do HC. Edney seria o padrinho do contrato firmado entre o Gaspar Viana e a empresa R.V. Ímola Transportes e Logística Ltda.


  • Maria De Fatima Gouveia Peres - Cedida pela Sespa a pedido de Ivete Gadelha para chefiar o setor responsável pelas licitações do Gaspar Viana, direcionando os processos licitatórios para empresas parceiras.


  • Jonathan Prudêncio de Sousa - Gerente De Grupo Técnico e envolvido nas cotações de preço.


  • Jacirema Brandão Paiva - Elabora empenhos dos serviços prestados por empresas terceirizadas. Foi colocada na função por José Paulo Nascimento Cruz.


  • Arthur Wilker Sales Costa - Chefe do Setor de Pessoal de desde 01 de setembro de 2017. Servidor comissionado, sendo um dos beneficiados pela ´´farra de plantões``, recebe D.A.S e plantões, porém só cumpri a carga horária referente ao D.A.S, trabalhando de segunda a sexta-feira. Sua colaboração para a ´´farra de plantões`` seria através da inserção de dados adulterados ou e falsificados em sistemas públicos para beneficiar os outros participantes do esquema.


Celso Mansueto Miranda de Oliveira Vaz - Chefe da Engenharia Clínica. Está diretamente ligado ao processo de compra de respiradores que é investigado pela Polícia Federal (Operação Parabellum). É apontado como responsável pelo laudo técnico dos respiradores adquiridos e por atestar a regularidade da compra junto com outros servidores da Sespa. Celso seria vinculado a empresa Macedo Hospitalar, que também é investigada pela Polícia Federal na operação SOS.

  • Kleber Almeida da Silva – Chefe do Grupo Técnico de Informática. Foi candidato a Deputado Estadual nas últimas eleições.


  • Fagnei Ivison Corrêa Carvalho - Chefe do setor de planejamento, por onde passa o orçamento do hospital.


  • Sthephaine Cruz – Médica. Nora de Paulo Cruz.


  • Aline Lorena Oliveira da Cruz


  • Rejane Corrêa Araújo


Ainda de acordo com a denúncia do Delegado Caveira,

“existe dentro do Gaspar Viana uma verdadeira farra de plantões e sobreavisos. Devido a tantos processos licitatórios fracassados para contratação de serviço, a Presidência da FPEHCGV, fez várias contratações diretas, ou serviços pagos por indenizações. Os processos para contratação de serviço de processamento de roupa hospitalar é um dos processos que as licitações não finalizam, se estendendo desde 2019. Várias chefias já foram trocadas do Setor de Lavanderia, pois não concordavam nos direcionamentos que Presidência da FPEHCGV.”

Dentre as graves denúncias citadas pelo deputado estão ainda o Sistema de Combate a Incêndio, que não teve processo licitatório, porém uma empresa foi contratada para o serviço, pelo valor de 4 milhões de reais; aluguel de seis caminhonetes S10, com valor mensal cada uma de R$24 mil reais. Delegado Caveira diz que Ivete chegou ao disparate de comprar várias poltronas, por dispensa de licitação, bem como contratou empresa para prestação de serviço de processamento de roupa hospitalar, por 180 dias, apenas para beneficiar Rozany de Cassia Fiel Cardoso e seu sócio, Antonio Carlos Franco de Almeida.


Kaveira denuncia também um esquema de “funcionários fantasmas” dentro do Gaspar Viana, incluindo dois jardineiros, ambos com salários de R$ 7 mil reais. O esquema envolveria também o médico Diego Gadelha Vaz, filho de Ivete Vaz. Além de relatar todo o esquema na tribuna da Alepa, o deputado Delegado Caveira encaminhou formalmente a denúncia ao Ministério Público do Pará.


Assista o vídeo da denúncia pelo link:


https://www.youtube.com/watch?v=j07LL44Pu0s&authuser=4




3,368 visualizações0 comentário