• O Antagônico

Concórdia do Pará. A Promotora. Os Ambulantes. A Prefeitura e o Poder de Polícia

Atualizado: Nov 3



Os vendedores ambulantes de Concórdia do Pará preferem ver o diabo em pessoa do que encontrar com a promotora de justiça Naiara Vidal Nogueira. Tudo porque a representante do parquet, atuando em causa nobre, ou seja a proibição do acesso de menores a bebidas alcóolicas, enviou recomendação ao prefeito da cidade dando prazo de 30 dias para que o mesmo notifique todos os bares, restaurantes e similares, existentes no perímetro de segurança escolar (100 metros) sobre a proibição de venda de bebida alcoólica e outras substâncias nocivas à saúde das crianças e adolescentes, durante o horário de funcionamento das escolas. Até ai tudo bem !! Ocorre que, além disso, recomendou a promotora que a prefeitura, no exercício do poder de polícia, deverá providenciar a notificação e imediata retirada das barracas (fixas ou móveis), carrocinhas, trailers e ambulantes existentes no referido perímetro escolar, de todas as escolas existentes no município. Como diz o ditado, a corda sempre arrebenta do lado mais fraco. Trocando em miúdos, sobrou até para o vendedor de picolé !!!

246 visualizações0 comentário