• O Antagônico

Gilmar Mendes, As OSs e os Desvios Milionários no Pará. O Professor em Belém e Capanema


Existe muito mais dinheiro desviado no Pará, durante a pandemia, do que pode supor a nossa vã filosofia. O médico Lauro Henrique Fusco Marinho, o “Professor” (foto), teve mais uma vez pedido de liberdade negado pela Justiça. Dessa vez, o Ministro Gilmar Mendes negou um pedido de Habeas Corpus, impetrado pelo advogado Ricardo Hasson Sayeg, contra decisão monocrática proferida por um Ministro do STJ.


Consta dos autos que o médico foi denunciado, após investigação deflagrada na Operação "Raio X", que apura crimes contra a Administração Pública, Lavagem de Dinheiro e Organização Criminosa, com a participação de agentes públicos.


"Segundo a investigação, há conversa interceptada na qual este acusado comenta que iria ganhar muito dinheiro no estado do Pará, suficiente para se aposentar. Ainda segundo consta dos autos, Lauro atua ao lado do líder da organização, sendo chamado de “professor” por alguns integrantes da organização."

De acordo com o processo, entre os anos de 2018 a 2020, o grupo utilizou as organizações sociais para firmarem contratos em várias cidades do país, dentre elas duas no Estado do Pará: Belém e Capanema, recebendo nesse período um repasse de verbas públicas próximo a R$ 2.000.000.000,00 (dois bilhões de reais), estimando-se que em torno de R$ 500.000.000,00 (quinhentos milhões de reais) foram desviados da saúde pública.

Consta, ainda no processo, que em 19 de maio de 2020, já em plena pandemia, “o médico Mohamed Barakat diz, em uma conversa interceptada, não entender por que Lauro foi para Belém do Pará ter contatos com pacientes acometidos de Covid, e que imagina que só pode ter sido por muito dinheiro. Na conversa, Lauro comenta que é muito mais dinheiro do que Mohamed imagina e que pode até se aposentar com tanto dinheiro que vai ganhar no Pará durante a pandemia, frisando que que na UTI paraense é um morto atrás do outro e que vai enviar fotos e vídeos.”


A decisão do Ministro Gilmar Mendes, denegando a Ordem, foi publicada no Diário da Justiça de segunda-feira, 08 de fevereiro.

652 visualizações0 comentário