• O Antagônico

Jacundá. O Juiz Jun Kubota. O TJ. A Corregedora e a Sindicância


A corregedora geral do TJE do Pará, a desembargadora Rosileide Maria da Costa Cunha, determinou a abertura de uma Sindicância Administrativa Apuratória contra o juiz da comarca de Jacundá Jun Kubota, visando a apuração de suposta transgressão ao dever funcional, delegando, para tanto, poderes à juíza auxiliar Ana Angélica Abdulmassih Olegário, concedendo-lhe o prazo de 30 dias para a conclusão dos trabalhos.

“Este Órgão Correcional não pode se imiscuir de adotar medidas sumárias para verificação pormenorizada dos fatos, impõe-se a realização de uma apuração mais acurada, para que se possa, de fato, afastar o cometimento de quaisquer irregularidades por parte do magistrado requerido, consistente na violação, em tese, dos deveres funcionais previstos no 35, I da Lei Complementar n. 35/79- LOMAN e artigo 5° do Código de Ética da Magistratura Nacional.”

Frisou a desembargadora.

580 visualizações0 comentário