• O Antagônico

Josué Bengtson. A Reunião do PTB. O Constrangimento. As Ofensas e a Confissão

Atualizado: 21 de fev.



Constrangimento. Apupos em Helder Barbalho. Confissões nada republicanas. Gritos e xingamentos. Teve de tudo um pouco na manhã de hoje, durante a reunião do PTB, no Hotel Radisson, na Brás de Aguiar em Belém. Um dos protagonistas foi o ainda presidente estadual do partido, o pastor Josué Bengtson, que diante de todos os presentes, afirmou que apoia Helder Barbalho e Bolsonaro. Ou seja, o samba do crioulo doido !.


Como dizia o grande Rui Barbosa, “Não se deixem enganar pelos cabelos brancos, pois os canalhas também envelhecem!!” Bengtson, mesmo sabendo que é da base de Helder Barbalho, foi um dos primeiros a chegar ao local da reunião, que, na prática, tirou-lhe o comando do PTB no Pará. O ex-deputado federal ficou sozinho sentado na mesa de convidados, visivelmente nervoso! Pouco depois chegaram, todos juntos, o ex-governador Simão Jatene, os delegados Eguchi, Deputado Delegado Caveira e Toni Cunha e Hidelgardo Nunes, juntamente com o secretário nacional do PTB, Kassyo Santos Ramos e Roberto Jeferson Jr, filho de Roberto Jeferson, cacique nacional do partido.


A partir dai o constrangimento só aumentou. Bengtson, que se diz homem de Deus e democrático, se recusou a falar com a imprensa e tentou barrar a presença do deputado Delegado Caveira na mesa, sob a alegação de que o mesmo não estava filiado. De nada adiantou. Caveira discursou e manteve o tom ácido que lhe é peculiar, afirmando que “Helder Barbalho é o governador mais corrupto da história.” E o deputado foi duro com Bengtson. “Muito me admira uma pessoa se dizer gente de bem e apoiar um governo corrupto, alvo de várias investigações da Polícia Federal”.


Pra piorar a situação, o pastor afirmou, em alto e bom som, que falara ao telefone com Roberto Jeferson no dia anterior. A afirmação assustou o próprio secretário nacional do partido, uma vez que Jeferson está em prisão domiciliar e não pode atender telefone, nem receber pessoas. Acuado, Josué Begtson tentou desconversar, proferindo indiretas e ofensas à direção nacional do PTB, chamando de mentiroso o novo secretário do partido, Evaldo Bichara, que reagiu e quase avança em Bengtson.


Em clima tenso, a reunião prosseguiu, com a filiação de novos membros, entre eles Evaldo Bichara, Yorran Costa, José Megale, Eliane Lima, Everaldo Eguchi, entre outros. Tentando evitar perguntas da imprensa e mais constrangimento, Josué Bengtson fez um discurso rápido, tipo “enterro de leproso”, e deixou a reunião sob vaias. Foi ai que iniciou o discurso de Simão Jatene, iniciando sua fala lamentando a postura de Bengtson.

“Não podemos mais aceitar a imposição de pessoas que não aceitam a democracia. Temos que nos unir em torno de um projeto em prol da sociedade paraense”.

Disse o ex-governador afirmando que ainda não definiu seu destino político, mas sinalizando com simpatia para o PTB.

“Não acredito em salvador da pátria. O poder de mudança e reação contra tudo que ai está depende de cada um de nós”.

Finalizou Jatene. Veja o vídeo abaixo:




5.200 visualizações4 comentários