• O Antagônico

Marabá. O Tribunal do Juri. As Sessões. O Montarroyos. O Perfume e a Proibição



Quando a gente pensa que já viu de tudo, eis que surge mais uma. Olha essa !!!  A corregedoria do TJE do Pará julgou prejudicado, por perda de objeto, o recurso de Heraldo Elias de Moura Montarroyos contra decisão do juiz da 3ª Vara Criminal de Marabá que indeferiu pedidos de dispensa do recorrente de compor o Conselho de Sentença do Tribunal do Júri na Comarca de Marabá, em razão de não apresentar condições adequadas de saúde.


Informações prestadas pelo juízo afirmam que o recorrente não compôs o conselho de sentença em nenhuma sessão de julgamento e não mais participará dos julgamentos do Tribunal do Júri, uma vez que pertenceu a turma do primeiro semestre de 2021, que já se encerrou; restando prejudicado seu pedido de dispensa. Até ai tudo bem !! Mas risível mesmo é a argumentação de Montarroyos, requerendo,  a dispensa de todas as sessões do Tribunal do Júri por razão médica, solicitando parecer médico oficial do Poder Judiciário para atestar sua aptidão ou não a participar as sessões do júri. Ai vem a cereja do bolo !! 


No caso de impossibilidade da dispensa, Heraldo pediu que fosse garantido proibir todos os presentes de usar perfume no tribunal, desligar de vez em quando a central de ar e permitir sua saída no momento que precisasse tirar a máscara para respirar ao ar livre e usar o remédio (lubrificante) do nariz. A Relatora do recurso foi a desembargadora Maria Filomena de Almeida Buarque. Durma-se com um barulho desses !!


383 visualizações0 comentário