• O Antagônico

Na Rede 08/03/2021

Os Alunos, Monte Alegre, O Ibraspe e o Curso Ilegal


Ex-alunos de curso ilegalmente anunciado no município de Monte Alegre, como sendo de bacharelado em Administração, podem solicitar à Justiça o recebimento de indenização de R$ 3 mil e ressarcimento das despesas realizadas, informou o Ministério Público Federal (MPF). A empresa condenada aos pagamentos é o Instituto Brasileiro Acadêmico Social de Pesquisas e Ensino (Ibraspe), de acordo com sentença proferida pela Justiça Federal em agosto de 2020.

O curso não tinha autorização do Ministério da Educação (MEC) para funcionar, apontou ação do MPF de 2015. A Justiça confirmou a ilegalidade, proibiu a oferta e determinou que os prejudicados devem ser indenizados e receber de volta as despesas realizadas, com correção monetária.

Para solicitar a indenização os ex-alunos prejudicados devem ajuizar pedido de liquidação da sentença do processo, o que pode ser feito na Justiça Federal em Santarém, que proferiu a decisão. Ex-alunos prejudicados que não morem em Santarém podem fazer o pedido na sede da Justiça Estadual no município onde residem. O juiz federal Domingos Daniel Moutinho proibiu o Ibraspe de anunciar e promover, sem autorização do MEC, cursos superiores nos municípios de Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Gurupá, Juruti, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Placas, Prainha, Rurópolis, Santarém, Terra Santa e Uruará.

A Sespa, o Hangar e os Pacientes do Amazonas

Adeilza Azevedo Almeida, de 57 anos, veio do município de Parintins, no Amazonas, e após dois meses internada no Hospital de Campanha de Belém, no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia recebeu alta na última quarta-feira (03). Ela faz parte do grupo de 41 pacientes que vieram transferidos do estado vizinho para receber tratamento contra a Covid-19 na rede de saúde pública do Pará. De acordo com informações da Sespa, apenas um paciente do Amazonas segue internado na enfermaria do Hospital de Campanha. Dos 41 que chegaram à unidade de saúde, 31 já receberam alta e nove faleceram.

O Governador, O Prefeito, O Banpará e o Bora Belém

Hoje, segunda-feira, 08 de março, Dia Internacional da Mulher, certamente será dia de aglomeração em Belém. É que a partir de hoje, o Banco do Estado do Pará (Banpará) inicia o pagamento do benefício social destinado às famílias em situação de vulnerabilidade, beneficiadas pelo Programa Bora Belém, anunciado em prosa e verso pelo prefeito da Capital, Edmilson Rodrigues, sendo iniciativa da Prefeitura, em parceria com o Governo do Pará, que vai liberar a metade dos recursos destinados aos beneficiários. O "Bora Belém" vai oferecer benefícios de até R$ 450,00 às famílias em situação de vulnerabilidade social. Nesta segunda-feira, as primeiras 500 famílias começarão a receber o benefício pelo Banpará, agente financeiro escolhido para o programa. Os beneficiários receberão um cartão para sacar os valores. Vamos ver no que vai dar.

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo