• O Antagônico

Na Rede....


O Amapá, A Covid e os Seguros de Vida

A contratação de seguros de vida teve um aumento de 23,74% em 2020 no Amapá na comparação com o ano anterior. O principal motivo para a elevação foi a pandemia da Covid-19, que fez com que muita gente ficasse precavida em caso de morte.

O valor pago no serviço saltou de R$ 11,4 milhões em 2019 para R$ 14,1 milhões no ano passado. Também houve aumento de 21% na arrecadação dos valores pagos mensalmente pelos segurados, sendo mais de R$ 2,8 milhões em 2019, contra mais de R$ 3,4 milhões em 2020.

Antes da pandemia, as seguradoras do Amapá chegavam a atender, em média, quatro pedidos de indenização por morte ao mês. No auge dos casos, o número chegou a ser de 30 pedidos mensais.

A exoneração das Fura-Filas e a Devolução do Salário

Na edição da última sexta-feira (12) do Diário Oficial do Município de Manaus, publicada neste sábado (13), constam as exonerações de sete servidores com cargo de gerente de projetos DAS-4, sem necessidade de concurso público, que são investigados por furar a fila da vacina contra a Covid-19. As nomeações circularam nas redes sociais no mês de janeiro, por terem ocorrido de forma suspeita durante a crise da falta de oxigênio para pacientes com a doença, e por terem sido feitas na véspera e no dia do início da vacinação dos profissionais de saúde da rede pública da capital do Amazonas. Entre os investigados, estão as irmãs gêmeas e médicas Gabrielle e Isabelle Kirk Maddy Lins, que haviam sido nomeadas pela Prefeitura nos dias 18 e 19 de janeiro, respectivamente, e tomaram a primeira dose do imunizante ainda no dia 19 de janeiro, e a segunda no dia 9 de fevereiro, ou seja, três dias antes de serem exoneradas de seus cargos. Em nota, os advogados que fazem a defesa das duas médicas afirmaram que foram elas que pediram a exoneração e que as médicas já depositaram, em juízo, o dinheiro recebido a título de salários.

São Paulo e a Variante. O Vírus e o 1º Caso Longe de Manaus

A prefeitura de São Paulo confirmou na noite de sábado (13) o primeiro caso de uma pessoa infectada com a variante de Manaus do novo coronavírus, conhecida como P.1, em paciente que vive na capital paulista e não esteve no Amazonas.

De acordo com Iuri Pitta, analista de política da CNN, a pessoa infectada é moradora do Ipiranga, na Zona Sul da capital paulista. O diagnóstico foi realizado pelo Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (USP).

Diante da descoberta, especialistas da Coordenadoria de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal da Saúde, alertaram a população sobre a maior transmissibilidade dessa variante e recomendaram a busca imediata de serviço médico em caso de sintomas da doença como tosse, febre, dor de cabeça, entre outros.

86 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo