• O Antagônico

Na Rede 24/03/2021

A Covid-19 no Pará e no Amapá


O Ministério Público do Trabalho no Pará e Amapá registrou 722 denúncias relacionadas a Covid-19 até o último dia 15. Nesse período, foram ajuizadas 20 ações civis públicas, firmados 14 termos de ajuste de conduta (TACs) e promovidas 12 mediações. Também foram expedidas 193 recomendações a autoridades do poder público e empregadores e instaurados 255 inquéritos civis relacionados ao tema. Quanto à atuação do órgão frente a alguns setores específicos como frigoríficos, hospitais, mineração e aplicativos, Gisele Góes explica que “o MPT tem buscado parcerias transversais e interdisciplinares com vários órgãos e atuado preliminarmente de modo extrajudicial, tentando soluções negociadas”. A procuradora diz que só quando as vias extrajudiciais não surtem efeito, ingressa-se com demandas judiciais, especialmente para garantir a proteção dos trabalhadores e trabalhadoras quanto às suas condições de trabalho durante a pandemia.


Pacajá, As Tempestades e o Decreto


O governador Helder Barbalho homologou o Decreto no 070/2021, de 11 de março de 2021, editado pelo Prefeito de Pacajá, que declara “situação de emergência”, em áreas do município, afetadas pelo impacto causado pelas tempestades.


O Trânsito, Os Carros e os Postes

A falta de atenção no trânsito é um dos responsáveis pelos mais de 700 acidentes com postes registrados de janeiro até a primeira quinzena do mês de março de 2021, pela Equatorial Energia Pará. Santarém e Belém, a exemplo do ano passado, continuam sendo os municípios que registram o maior índice de acidentes, os conhecidos abalroamentos, mesmo diante do cenário da pandemia provocada pela Covid-19. Só em Santarém foram 282 batidas em postes. Em seguida aparece a capital, Belém, com 187 ocorrências. Parauapebas teve 25 postes atingidos por veículos; 21 em Altamira, 19 em Castanhal e Marabá foram 18. Os números preocupam a Equatorial Energia Pará que tem alertado os motoristas para os perigos e riscos com a rede elétrica.

16 visualizações0 comentário