• O Antagônico

Na Rede 26/02/2021


O Cavalo no Telhado e as Telhas Quebradas

Um cavalo subiu no telhado da Prefeitura de Aricanduva, a 419 km de Belo Horizonte, e surpreendeu os moradores da cidade de apenas 4.770 habitantes. Segundo informações divulgadas pelo executivo, a sede da prefeitura fica ao lado de um pasto, de onde teria saído o animal. Com o peso do cavalo, parte das telhas caíram e se quebraram. A calha que ficava no teto também foi danificada. A assessoria da prefeitura afirmou que o animal foi retirado “com todo o cuidado” pelos servidores. Apesar da situação inusitada, o animal não apresentou nenhuma lesão séria, apenas um arranhão no rosto. Os danos materiais causados pelo animal já estão sendo reparados. Até o momento, não se sabe como o cavalo chegou ao telhado do imóvel.

Os EUA, As Empresas e os Contratos de Amor

Relações amorosas no trabalho, sejam exclusivamente sexuais ou puramente românticas (ou uma combinação das duas), frequentemente desaguam em um mesmo rio: um rio de problemas. Muitas vezes, problemas jurídicos. Algumas vezes, em ações judiciais. Mas o amor acontece. Por isso, grandes empresas dos EUA e seus assessores jurídicos estão se debatendo para criar políticas que definam o que é "fruto proibido" nas relações de trabalho — tal como o da árvore do conhecimento.

Umas poucas empresas encontraram uma possível solução: fazer os amantes assinarem um "contrato de amor". Tal contrato tem a finalidade específica de eximir a empresa de responsabilidade, caso o amor se torne incompatível com os valores essenciais da organização — ou lhe cause problemas jurídicos.

Os problemas das relações amorosas no trabalho são bem conhecidos: favorecimentos pessoais, conflitos de interesse, abuso de poder, chantagens, más decisões e quaisquer outros problemas que podem gerar processos por discriminação e outras encrencas trabalhistas ou civis.

A Assassina da Atriz e a Queixa-Crime Contra Glória Perez

Paula Thomaz, que foi condenada pelo assassinato da atriz Daniella Perez, filha da Gloria Perez, abriu uma queixa-crime contra a novelista. Motivo: por ameaça e difamação. Sim, Paula pretende processar a mãe de sua vítima.

Paula abriu queixa-crime na polícia após Glória Perez ter respondido nas redes sociais alguns comentários de seguidores que falavam sobre o fato da ex-mulher de Guilherme de Pádua estar investindo na carreira artística da filha mais nova, de cinco anos. A novelista, que nunca escondeu de ninguém a revolta pela morte (a tesouradas) da filha, a atriz Daniella Perez, se indignou com a notícia de Paula agora investia na carreira da filha. “Essa criminosa não tem limites. Não preservou o filho que tinha na barriga quando se fez assassina e não preserva a filha de um meio (artístico) onde terá sempre como referência ser filha de uma assassina”, falou Glória Perez nas redes sociais.

Por ter envolvido uma criança no comentário, Paula Thomaz registrou um boletim de ocorrência contra a Glória Perez na Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima, no Centro do Rio, e pretende levar o processo adiante.

Em 28 de dezembro de 1992, Daniela Perez foi assassinada por Paula Thomaz e seu então marido, o ator Guilherme de Pádua. Na época, a atriz atuava com Pádua na novela “De Corpo e Alma”, escrita por Glória Perez. Sentenciada a 16 anos de prisão, Paula Thomaz deixou o regime fechado em 1999, após cumprir um terço da pena.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo