• O Antagônico

Noélio Sobrinho. A Abraspo. O Antagônico e o Direito de Resposta



O Antagônico recebeu e publica abaixo, na íntegra, direito de resposta gentilmente solicitado por Noélio Sobrinho, com relação a matéria intitulada “Noélio Sobrinho. O Surf. A Abraspo. O MPU. Os R$ 700 Mil e a Condenação”. Eis a nota:



“Em relação a matéria exibida no jornal eletrônico O antagonico no dia 20.12.21, insta esclarecer alguns fatos destorcidos pela fonte e que atacou de forma injusta a ABRASPO e a minha pessoa como Presidente da entidade. Por isso venho aqui esclarecer e restabelecer a verdade. O referido fato aconteceu em 2009 no Estado do Maranhão onde a ABRASPO foi agraciada pelo Ministério do Turismo no ano de 2008 em um edital publicado pelo do Ministério do Turismo, em que concorreu com 5 mil projetos e a Abraspo ganhou em 1° lugar com o projeto do Surf na Pororoca. Realizamos o projeto prestamos conta do mesmo e em seguida fomos procurados pelo Ministério para sanarmos algumas ressalvas. Feito isso a nossa prestação de contas foi aprovada. No ano seguinte inscrevemos novamente um novo projeto junto Ministério do Turismo e ganhamos em 1° lugar do Brasil. Realizamos o projeto prestamos conta e em seguida transferimos a sede da ABRASPO para o Estado do Pará. O TCU expediu notificação para a sede da Abrasão no Estado do Maranhão, onde a sede não mais funcionava. O Ministério estava ciente da alteração de endereço da entidade. Acreditamos que tiveram resalvas como no convênio anterior mais nunca recebemos nem uma notificação, até sermos surpreendidos por uma notificação da Secretaria de Justiça do Estado do Maranhão. Nos apresentamos com os nossos advogados e apresentamos a nossa prestação de contas e fomos ABSOLVIDOS conforme documentos em anexo! Devido o convênio ter sido Federal tivemos na oportunidade nos apresentando espontanhamente na Policia Federal do Maranhão onde tivemos a grata surpresa de tratar o assunto com o Delegado que é praticante de Surf e que participou do evento e nos repassou documento que nos respauda da veracidade do nosso feito. Com a Justiça do Estado do Maranhão e a Policia Federal do Maranhão nos respaudando fomos até Brasília e apresentsmos a nossa cópia da prestação de contas ao departamento jurídico do Ministério do Turismo e este alegou que numca fora dado entrada na devida prestação de contas. Na época tínhamos contratado uma empresa do seguimento no Estado do Maranhão que tinha honrado todas as suas obrigações no convênio de 2008 e a indagamos sobre a não prestação de contas junto ao Ministério? A AB Propaganda, empresa que contratamos afirma ter mandado a prestação por correio e no processo o próprio Ministério do Turismo se contradiz ao falar que na nossa prestação de contas teve pendências de recibos referentes a algumas notas fiscais. Vem a perguntar como pode ter desavenças de recibos e notas fiscais se segundo o Ministério do Turismo não houve a referida prestação??? Agora estamos sendo penalizados por uma situação que só tomamos o conhecimento após termos sido considerado não prestada as contas. Estamos sendo alvo de falsas denúncias de um grupo de pessoas acusadores que jamais pensaram no esporte. São pessoas e entidade que nada o ligam ao Surf é se utilizam de projetos relacionados ao Surf sem possuirem competência e legitimidade para tal. Estamos a disposição a Justiça e da Sociedade para qualquer esclarecimentos.

283 visualizações0 comentário