• O Antagônico

O Abelardo Santos, Os Esclarecimentos do ISSAA. A Repercussão e a Intimidação

Atualizado: Mar 19



O Antagônico recebeu, na noite de ontem, e publica hoje, terça-feira, 16 de março de 2021, como manda o bom jornalismo, os esclarecimentos prestados pelo Instituto de Saúde Social e Ambiental da Amazônia – ISSAA, sobre a matéria publicada ontem em nosso site. Apesar de discordar da posição do Instituto, que mais parece querer intimidar do que esclarecer, O Antagônico respeita o contraditório e publicará a nota do ISSAA, reiterando que mantemos tudo o que foi publicado, resguardando o basilar direito de informar, assegurado pela Carta Magna, a nossa Constituição Federal.


Em dissonância com os esclarecimentos prestados pelo Instituto, funcionários do Hospital, relataram ontem, a O Antagônico, que depois da repercussão da matéria forma convocados para exames admissionais e informados que, já na quarta feira, ou seja, amanhã, tomarão a primeira dose da vacina.


Eis abaixo a nota do Instituto:


“Tomou-se conhecimento da publicação e divulgação, nesta data, no site “O ANTAGÔNICO”, da seguinte matéria: “O Escândalo no Abelardo Santos. O ISSAA e os 1.600 Servidores Sem Contrato e Sem Vacina”. Ocorre que, a notícia é totalmente divorciada da verdade, gerando assim ao noticiado Instituto o direito de retratação de acordo com a legislação pátria vigente, em especial, o Código Civil e Penal. Como é cediço, o Instituto iniciou sua gestão no dia 11 de março de 2021 e já solicitou a documentação dos funcionários que necessitam de renovação contratual. Entretanto, considerando que o hospital conta, atualmente, com 1.400 (mil e quatrocentos) colaboradores e, em observância das recomendações sanitárias da OMS, a fim de evitar aglomerações, primeiramente foram realizados os exames admissionais, sendo esta etapa finalizada nesta terça (16/03/2021). Em seguida, começarão as assinaturas dos contratos em ordem alfabética, em vários dias, evitando assim aglomerações. Outrossim, quanto a oferta de vacina aos funcionários, esclarece-se que está ocorrendo em consonância com o calendário definido pelo Governo do Estado do Pará, na medida em que são disponibilizadas, já tendo sido solicitado a Secretária Municipal de Saúde novas doses. Destaca-se que o Instituto de Saúde Social e Ambiental da Amazônia – ISSA preza pela excelência e transparência de sua gestão, bem como pelo bem-estar de seus colaboradores e parceiros. A matéria supõe ainda que os pacientes da ala infantil estão expostos a alta probabilidade de infecção, considerando que, supostamente, todos os pacientes possuem em comum a entrada do hospital. No entanto, é importante frisar que o hospital possui um rigoroso controle de higienização e desinfecção visando pela proteção e saúde dos pacientes, contando com alas especificas para o COVID. Desse modo, solicitamos a retirada da matéria e posterior retratação em até 24 horas (vinte e quatro horas), sob pena das medidas cabíveis previstas no Direito Brasileiro, sendo estas, interpelação judicial de acordo com o art. 726 e 727 do Código Processo Civil, indenização por danos morais previstos no art. 186, 187 e 927 do Código Civil e queixa crime de calunia e difamação, conforme o art. 18 e 139 Código Penal”.



224 visualizações0 comentário