• O Antagônico

O Atirador Milionário. Os Tiros na PF. As Médicas Gêmeas e a Prisão do Pai



Preso ontem em Manaus o empresário Nilton da Costa Lins Junior disse que atirou em agentes da Polícia Federal, que cumpriam mandados de prisão durante a quarta fase da Operação Sangria, porque “teria confundido a ação com um assalto”. Nilton faz parte de uma das famílias mais influentes do Amazonas, possuidora de uma das mais tradicionais universidades particulares de Manaus e de um complexo hospitalar.


O empresário também é pai das médicas gêmeas que foram investigadas por furar a fila da vacinação em Manaus. Ele, outros empresários e o alto escalão do governo do Amazonas são suspeitos de irregularidades no aluguel do Complexo Hospitalar Nilton Lins para ser usado como hospital de campanha para pacientes com Covid-19 em Manaus.


Fura-Filas - No início da vacinação contra a Covid-19 no Amazonas, as médicas gêmeas Isabelle e Gabrielle Kirk Maddy Lins, receberam a primeira dose da vacina no dia 19 de janeiro. Uma delas foi contratada no mesmo dia e, a outra, foi efetivada no cargo um dia antes da aplicação da vacina. Elas estiveram entre dez médicos citados em uma investigação do Ministério Público do Amazonas (MPAM) sobre "fura-filas" na vacinação contra a Covid-19 em Manaus. As duas foram exoneradas do cargo pela Prefeitura de Manaus no dia 12 de fevereiro.

288 visualizações0 comentário