• O Antagônico

O Barbalho. Os Delegados da PF. O Governo Federal. O Ultimato e a Dança das Cadeiras

Atualizado: 2 de dez. de 2021



O Ministério da Justiça, segundo fonte, deu um ultimato para que o governador do Pará, Helder Barbalho, devolva para os cargos de carreira os delegados da Polícia Federal lotados em sua gestão. A medida visa, acima de tudo, tentar preservar a imagem da instituição, diante dos sucessivos escândalos de corrupção envolvendo Barbalho. Como se isso fosse possível.


Para muitos servidores e delegados da PF, o mal já está feito e de nada adiantaria os delegados nomeados por Helder, envolvidos na “grande nuvem escura” a essa altura do campeonato, “ baterem na porta do céu”, como diz a canção do cantor Zé Ramalho. Com efeito, no apagar das luzes de 2021, o governador Helder Barbalho deverá dar seguimento a dança das cadeiras em sua gestão.


O atual comandante geral da PM, coronel Dilson Júnior, está cotado para assumir a Segup, no lugar do delegado da PF Wallame Machado. Comenta-se a boca pequena que, antes mesmo do recado enviado pelo Ministério da Justiça, Helder já estaria contrariado com a postura de Uallame Machado, que, na visão do governador, fez gol contra ao denunciar ao MP, a compra, pela Polícia Civil, das famosas maletas de espionagem.


Para a vaga de Dilson, os rumores dão conta de que o coronel Pedro, atualmente no comando da PM em Ananindeua, seria guindado ao Comando Geral. Marcelo Lima Guedes, que estava no Detran, deverá assumir o lugar do também delegado federal Rômulo Rodovalho, atual titular da Sespa. No Corpo de Bombeiros Militar, três nomes estão cotados para assumir a chefia da instituição: os coronéis Bentes, Bejó e Pinheiro. A conferir.

1.402 visualizações0 comentário