• O Antagônico

O Desembargador. O Pai e o Irmão do Nicolas. A Liminar e a Soltura

Atualizado: Out 5



O desembargador federal, Cândido Ribeiro, reconsiderou decisão anterior e deferiu uma liminar revogando a prisão preventiva de José Bruno Tsontaski e José Arnaldo Izidorio Morais, respectivamente o irmão e o pai de Nicolas Tsontaski, apontado pela PF como operador da Máfia das OSs.


O magistrado acatou a tese dos advogados dos acusados, ressaltando que as organizações sociais que geriam hospitais paraenses e são investigadas pelo desvio de recursos públicos tiveram os contratos rescindidos pelo governo do estado do Pará logo após a deflagração da Operação SOS em setembro de 2020.

“Se as Organizações Sociais em questão deixaram de manter com o Estado do Pará o vínculo contratual que estaria gerando eventual desvio de recursos, este fato, a toda evidencia, encerra qualquer possibilidade de reiteração, por parte dos pacientes da conduta que lhe são atribuídas pela autoridade policial, esvaindo-se, assim, a necessidade de manutenção da custódia preventiva de ambos".

Diz o desembargador na decisão.

503 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo