• O Antagônico

O Escândalo no Abelardo Santos. O ISSAA e os 1.600 Servidores Sem Contrato e Sem Vacina



O Antagônico recebeu, na manhã de hoje, graves denúncias envolvendo o Hospital Abelardo Santos. As denúncias revelam que 1.600 servidores do hospital estão trabalhando sem contrato, ou seja, de forma clandestina, sem nenhuma garantia trabalhista. De acordo com o denunciante, que prefere não revelar a identidade, temendo represálias, desde que o Estado rescindiu o contrato com a OS Pacaembu, decisão publicada no DOE Edição 34.486, do dia 08 de fevereiro, o Instituto de Saúde Social e Ambiental da Amazônia, ISSAA, passou a gerir o Hospital.


Os contratos foram encerrados pela OS, porém, não renovados pelo ISSAA, sendo que os contratados continuaram trabalhando na linha de frente do enfrentamento a Covid 19.


“Eles (O Instituto) chegaram aqui no dia 11 e começaram a pegar nossos documentos, dizendo apenas para gente cumprir nosso horário. Ninguém diz nada pra gente. Não sabemos se teremos o contrato renovado. Muitos não falam e não reagem com medo de perder o emprego”.

Diz o denunciante, fazendo outra revelação também gravíssima: Dos 1.600 funcionários, apenas cerca de 400 receberam a vacina.


“Mais de mil servidores não receberam até agora, nem a primeira, nem a segunda dose da vacina. Isso é muito grave. Estamos arriscando a vida todos os dias sem qualquer preocupação por parte do Estado”.

Afirma a denunciante revelando o temor com as crianças internadas na unidade, uma vez que no Aberlado Santos existe uma ala pediátrica com muitas crianças.


“Todos entram só por uma local. Ou seja, essas crianças estão correndo um risco muito grande de contaminação”. Finaliza.

O Instituto de Saúde Social e Ambiental da Amazônia, ISSAA, iniciou suas atividades em Belém, em março de 2015, administrado por um grupo de pessoas militantes na área da saúde, entre eles o médico Alberto Gomes Ferreira Júnior e o administrador hospitalar Manuel Fernandes Gomes Moreira. Em fevereiro de 2016, o ISSAA foi qualificado como Organização Social pelo Estado do Pará, podendo atuar nas áreas da saúde, assistência social, educação, cultura e meio ambiente, de modo a habilitá-la à participação de processos administrativos com vistas à celebração de contratos de gestão. O que se diz no meio, é que o Instituto tem apadrinhamento do deputado federal José Priante, primo do governador Helder Barbalho.


As denúncias apontam, ainda, que como praticava a OS Pacaembú, o ISSAA também está criando vários tentáculos dentro do Abelardo Santos, terceirizando e quarterizando contratos com outras empresas. Ou seja, o que já era ruim ficou ainda pior. Com a palavra a Sespa, o Ministério Público do Trabalho e o Ministério Público do Estado.


Na quinta-feira, 11, o governador Helder Barbalho, esteve no Aberlado Santos para inaugurar 100 (Ceem) novos leitos para tratamento da Covid-19, destes, 80 (Oitenta) já estão ocupados por pacientes encaminhados pela Rede Particular e, por infectados oriundos de cidades do interior do Pará.


"Ele entrou pelos fundos, tirou fotos com funcionários e saiu em seguida. Um descaso com a saúde pública", concluiu o denunciante.
1,305 visualizações0 comentário