• O Antagônico

O Gaeco, A Investigação, A Máfia da Sespa e a Suspeição de 7 Desembargadores



Dando continuidade a série de matérias sobre a denúncia do Gaeco, que expos as vísceras da corrupção na SESPA e no governo do Pará, O Antagônico começa a detalhar a participação dos mentores do esquema: Alberto Beltrame, Peter Cassol Silveira e Cíntia de Santana Andrade Teixeira, sendo que o Gaeco utilizou provas emprestadas de outras ações relativas a fraudes em licitações.


No Procedimento Investigatório Criminal – PIC (SIMP n°. 000026-130/2020) que, juntamente com outros procedimentos, também serviu de base para fundamento de justa causa à ação penal, em uma das cautelares manejadas (Proc. originário 0008494-47.2020.8.14.0401) houve declínio de competência pelo juízo, com remessa dos autos para o TJE do Pará. À época, 07 Desembargadores se julgarem suspeitos para atuar no caso. São eles: Ronaldo Marques Vale; Maria Edwirges de Miranda Lobato; Vania Valente do Couto Fortes Bitar Cunha; Vania Lucia Silveira; Milton Augusto de Brito Nobre; Rosi Maria Gomes de Farias e Romulo Jose Ferreira Nunes e um por se encontrar em gozo de férias (Desembargador Raimundo Holanda Reis ).


Com efeito, os autos foram redistribuídos para relatoria do Desembargador Leonan Gondim da Cruz Júnior, que exarou decisão confirmando, fixando e ratificando a competência da Vara de Combate ao Crime Organizado, VCCO, para julgamento em 1ª instância, e assim, tendo estabelecido a prevenção para julgamento das ações conexas perante a 2ª Instância, o que inclui não somente a ação penal como também tantas outros mais que exsurjam como conexas e decorrentes de tais fatos que envolvam a Organização Criminosa atuante dentro da Sespa.


Na próxima publicação, O Antagônico vai detalhar como atuava a organização criminosa e a participação decisiva do Coronel da Reserva Remunerada da Polícia Militar, Osmar Vieira da Costa Júnior, Chefe da Casa Militar do governador Helder Barbalho.

378 visualizações0 comentário