• O Antagônico

O Jota Ninos, O Juiz de Santarém, A Campanha e a Sindicância

Atualizado: Abr 4



A desembargadora Rosileide Maria Cunha, Corregedora-Geral de Justiça do TJE do Pará, ordenou a instauração de uma Sindicância Administrativa, visando à apuração dos fatos apresentados pelo juiz Alexandre Rizzi, em desfavor do Analista Judiciário João Georgios Ninos, o J. Ninos, que também é jornalista, lotado na 3ª Vara Cível e Empresarial da Comarca de Santarém. Publicamos abaixo, na íntegra, a nota enviada por Jota Ninos a O Antagônico.

“Um advogado de um acusado de crime de estupro pediu ao juiz criminal que encaminhasse uma reclamação disciplinar contra mim, por conta de uma postagem no Facebook em novembro do ano passado. Eu estava de férias do TJPA e atuei no segundo turno na campanha da ex-prefeita Maria do Carmo (PT). À época, surgiu uma notícia divulgada por vários meios de comunicação sobre uma denúncia de estupro que teria sido cometido por um servidor público contra a própria filha. Eu divulguei uma foto dele ao lado do prefeito Nélio Aguiar (DEM), opositor de Maria com a frase: Veja a companhia do prefeito! O advogado alega que por estar sob sigilo, ninguém poderia expor seu cliente. Mas a notícia já havia vazado nas redes sociais, pois, a própria filha do acusado contou o que seu pai teria feito com a irmã menor. O juiz apenas encaminhou à Corregedoria, o pedido do advogado e a desembargadora me pediu esclarecimento, mas entendeu que deveria dar seguimento com uma sindicância para apurar o fato. Estou aguardando a criação de uma comissão aqui no Fórum, para responder ao ato. Considero que trata-se de uma tentativa enviesada de me atingir politicamente, por ser dirigente estadual do PCdoB e ter participado da coordenação da campanha da Maria do Carmo. Minha postagem foi feita em período de férias, pelo ativista político e não pelo servidor do Judiciário, de um fato amplamente divulgado pela imprensa local”.


189 visualizações0 comentário