• O Antagônico

O MPF. O Sefer. As Graves Denúncias. A Aselc e os R$ 12 Milhões



O Ministério Público Federal no Pará, uma das poucas instituições que não se curvou diante do mar de lama que se tornou a gestão do governador Helder Barbalho, tem a obrigação e certamente vai investigar a denúncia apresentada pelo ex-procurador do Estado, Afonso Oliveira, na Sessão do dia 14 de julho deste ano, do Conselho Superior da Procuradoria Geral do Estado do Pará.


Na sessão, registrada em vídeo, Oliveira faz graves denúncias e acusações contra o Procurador Geral do Estado, Ricardo Sefer, apontando o mesmo como sócio de OS e chefe de uma organização criminosa que atua dentro da PGR.


No Diário Oficial de terça-feira, 24, a SESPA publicou uma portaria chancelando o 4º Termo Aditivo do Contrato de Gestão N.º 001/SESPA/2021, firmado com a Associação de Saúde, Esporte , Lazer e Cultura – ASELC, que tem por objeto a prorrogação dos leitos Covid, no Hospital Regional de Castanhal, considerando a manutenção de até 60 leitos UTI-Covid e 100 Leitos Clínicos Covid 19, conforme disponibilização de leitos na Central de Regulação, pelo prazo de 60 dias. Pois bem, caros leitores. A OS em questão, que vai receber a bagatela de R$ 12.759.960,00 (Doze milhões, setecentos e cinquenta e nove mil, novecentos e sessenta reais), a ser repassado em duas parcelas, é justamente a que Ricardo Sefer seria sócio, cuja sede funcionaria no escritório do próprio Procurador Geral.


Na sessão, Afonso disse em claro e bom som que a Aselc recebe uma fortuna de repasse do Estado, sem prestar serviço que justifique a sangria nos cofres públicos, fazendo apenas 3 ou 4 atendimentos. Tratam- se, caros amigos, de denúncias gravíssimas e que merecem apuração rigorosa, sob pena de falência total dos órgãos de fiscalização!!! Aguardemos !!

1,543 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo