• O Antagônico

O Nicolas. A Máfia das OSs. O Juiz Campelo. A Extensão da Liminar. A Liberdade e a Impunidade

Atualizado: Nov 14



Parafraseando o jornalista Ronaldo Brasiliense: Todos soltos e todos ricos !! Apesar do parecer contrário do Ministério Público Federal, o juiz Antônio Carlos Almeida Campelo, titular da 4ª Vara da justiça federal, estendeu os efeitos da liminar concedida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região ao réu Nicolas André Tsontakis Morais, substituindo sua prisão preventiva, agora domiciliar, por medidas cautelares, dentre elas comparecimento a cada dois meses em juízo para informar e justificar suas atividades, a fim de que seja aferida a manutenção da inexistência de riscos ao processo e à sociedade; proibição de manter contato com os demais investigados; proibição de mudança de domicílio sem prévia autorização judicial e entrega em juízo de seu passaporte.


Nicolas é apontado como operador da chamada “Máfia das OSs no Pará” e seria o elo entre os empresários e o governador do Pará, Helder Barbalho. O magistrado estendeu que o acusado tem direito aos mesmos benefícios da liminar concedida a José Bruno Tsontakis e José Arnaldo Izidoro Morais, respectivamente irmão e pai de Nicolas.

“Por todo esse contexto, igualmente, não mais se justifica a manutenção da prisão preventiva em relação a NICOLAS ANDRÉ TSONTAKIS MORAIS sob o fundamento de proteção à ordem pública. Também não há mais elementos a indicar que, em liberdade restrita, o ora requerente vá interferir no andamento do processo ou na utilidade de uma sentença penal. Assim, por força do que foi decido pelo Egrégio TRF da 1ª Região, torna-se impositiva a extensão dos efeitos da decisão do HC ao ora requerente.”

Destacou o juiz na decisão.

588 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo