• O Antagônico

O Prefeito. A Prisão do Chato. O Barbalho, Os Ferrari e o Rebu em Oriximiná

Atualizado: Abr 27



O tempo fechou na manhã de hoje em Oriximiná. O prefeito da cidade, o delegado de carreira da polícia civil, Jose Willian Siqueira da Fonseca, foi até à residência de um crítico de seu governo, Joailson Damião da Silva, conhecido como “Chato”, e depois de breve discussão, mandou que guardas municipais o prendessem, por suposto desacato e tentativa de homicídio. A cena foi registrada por vizinhos. Nas imagens não aparece nenhum terçado, arma que o prefeito diz que “Chato” portava na hora da discussão.


Logo depois do episódio, o delegado divulgou um vídeo, nas redes sociais, em que mostra o terçado que teria sido usado por seu agressor. Ele fez o vídeo em frente à delegacia de polícia civil, no exato no mento em que "Chato" chegava no local conduzido por guardas municipais. O prefeito diz que “Chato” é ligado aos deputados Júnior e Ângelo Ferrari. Há duas semanas ele rondou a casa do meu irmão, querendo adentrar no recinto para tirar fotos. A despeito do flagrante de abuso de autoridade, por parte do prefeito, ao determinar uma evidente prisão ilegal, a história tem outras nuances.


Fonseca, que se elegeu prefeito de Oriximiná em novembro do ano passado, se diz perseguido pelo governador Helder Barbalho. "Primeiro ele transferiu a minha esposa para a cidade de Óbidos. Depois ele colocou parte da polícia civil para me perseguir, vazando procedimentos meus - sigilosos - junto à corregedoria para os deputados Júnior e Ângelo Ferrari, que usaram as informações para me atacar politicamente. Depois do resultado das eleições eu pensei que as coisas iriam parar, porém o governador transferiu todos os policiais civis que trabalhavam comigo para diversos municípios do Pará, em especial o marido da secretária de saúde, que foi para Tucuruí.” Afirma o delegado frisando que os seguidores da família Ferrari fazem campanha de ameaças contra ele nas redes sociais”.


“O governador colocou policiais civis em Oriximiná para me perseguir politicamente, inclusive dando declarações públicas depreciativas a meu respeito, mesmo ocupando uma função de estado. Esses policiais que para aqui vieram, estão extorquindo empresários do nosso município. Isso tudo é uma grande vergonha! Não vou me intimidar! Até quando @Helderbarbalho?". Diz o prefeito de Oriximiná.

Em nota, os deputados Júnior e Angêlo Ferrari lamentaram a postura do prefeito, principalmente por se tratar de um agente público.


526 visualizações0 comentário