• O Antagônico

O PSL, o Deputado e o Helder. A Saída do Eguchi e a Debandada nos Municípios



O delegado Everaldo Eguchi anunciou hoje a sua saída do PSL. Depois de uma conversa difícil com um deputado federal com fortes laços com o governador Helder Barbalho, parlamentar que outrora foi expulso do PSDB, Eguchi resolveu seguir outro rumo. O referido deputado não aceitou outro nome para presidir a sigla, que não fosse ele próprio. Nem mesmo a sugestão do nome de Marcio Miranda, ainda no DEM, e que teve 1,6 milhão de votos na última eleição para governador.


A saída do delegado provoca um natural efeito dominó na sigla partidária, com a debandada nos 68 diretórios municipais no interior do Estado. Eguchi, que se revelou como força política a partir da última eleição para prefeito de Belém, decidiu desembarcar do PSL depois de constatar que a sigla estava sendo cooptada pelo governador do Pará. Agora, o delegado espera a posição do presidente Jair Bolsonaro para definir para qual partido irá, junto com o seu grupo dos agora ex-dirigentes do PSL, espalhados por 68 municípios paraenses.


“O presidente já disse que eu vou para o partido que ele escolher”. Disse Eguchi a O Antagônico.

A probabilidade maior é que Eguchi retorne para o Patriota, partido que deverá abonar a ficha de Jair Bolsonaro. Hoje, O Estadão publicou uma nota afirmando que o presidente já colecionou seus candidatos a governo em vários Estados. No Pará, o escolhido, de acordo com o jornal, é o delegado Everaldo Eguchi.


Nos bastidores, o delegado tem conversado com várias lideranças políticas, dentre elas Zequinha Marinho, Marcio Miranda, Simão Jatene e Helenilson Pontes. Como diz o próprio Eguchi, “O caldo do açaí tá engrossando”. A conferir.


1,613 visualizações1 comentário