• O Antagônico

O Rosário. A Prospera. A Seap. As Quentinhas. A Procuradoria. O STJ e o Recurso

Atualizado: Out 14



Foi parar na presidência do Superior Tribunal de Justiça, STJ, a malfadada decisão do desembargador José Maria Teixeira do Rosário, que manteve, mesmo não sendo prevento para julgar o feito, um contrato milionário de quentinhas, entre a empresa Prospera e a Secretaria de Administração Penitenciária do Pará, SEAP.


Diante de gritantes indícios de ilegalidades, a Procuradoria Geral do Estado, através do procurador José Henrique Mouta Araújo, bateu às portas do STJ com um pedido de Suspensão de Segurança tendo como requerido o Tribunal de Justiça do Estado do Pará. A intervenção da PGE não acontece por acaso: A Prospera quer empurrar, goela abaixo, valores, acreditem os leitores, R$ 19 milhões acima da proposta da empresa vencedora do certame.


No pedido, a Procuradoria sustenta que deve ser mantido o contrato já firmado, e suspenso por decisão de Rosário, com a empresa Vogue, que ganhou a licitação para fornecer alimentação para a SEAP. Pelo andar da carruagem, o processo deverá ser chamado a ordem com a cassação da liminar deferida pelo desembargador paraense. O presidente do STJ, ministro Humberto Martins, é quem vai dirimir a questão. A conferir !!!

502 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo