• O Antagônico

Os Regionais. A Liberação de R$ 6 Milhões. O Desvio de 80% e o Financiamento de Campanhas



É impressionante a audácia dos membros da quadrilha das OSs que desviaram bilhões através de contratos com o governo do Pará, leia-se gestão Helder Barbalho. Em alguns casos, a quadrilha ficava com a maior parte dos valores repassados, deixando apenas migalhas para aquela que devia ser a real destinação dos recursos: salvar vidas. Vejam só.


No dia 01 de agosto de 2020, o IPG recebeu do Governo do Estado do Pará a quantia de mais de R$ 2 milhões de reais, referente ao Hospital Regional de Breves no Marajó e mais de R$ 4 milhões, referente ao contrato do Hospital de Santarém. Dois dias depois, 03 de agosto, Manoel manda mensagem para Nicolas informando do recebimento dos valores pelo IPG, ocasião em Nicolas pede para Manoel dizer a Gilberto que, dos R$ 6 milhões repassados pelo Governo do Estado ao IPG, cinco milhões já estavam “comprometidos” e, por isso, o hospital deveria ser gerido apenas com um milhão de reais. Trocando em miúdos, mais de 80% do valor repassado à Organização Social seria desviado para a conta da Minotauro.

Áudio de Nicolas:

“Chega com ele amanhã cedo, dizendo ‘chefe só para começara semana ele tem 3 milhões a 4 milhões para cobrir, essa semana já tem transferência feita com o agendamento para quarta-feira de 1 milhão e 200, e tem mais 800 mil em cheque e tem outro agendamento para quinta-feira de dois milhões’. Dessa vez a gente vai usar no mínimo uns 5 milhões desse dinheiro, entendeu Manoel, não gasta nada. Vai ficar em um milhão para pagar as besteirinhas enquanto sai o resto do dinheiro, mas 5 milhões tá comprometido desde já. Tá aqui os cheques, está aqui os agendamentos que ele fez. Ele foi para Brasília diga assim pro Gil, bora fazer tudo pela Minotauro mesmo né, não tem outra.

No dia 12 de agosto de 2020, Manoel solicita a Nicolas dados de conta bancária para que Gilberto transferisse os valores do IPG para Nicolas, ocasião que este diz ser melhor usar “a conta da Minotauro”.

Áudio de Nicolas:


 
“Pode ser física ou jurídica tanto faz. É melhor na PJ, na Minotauro. Eu vou passar...se for na física eu vou ter que botar para Minotauro para cobrir um cheque.

No dia 14 de agosto de 2020, outro diálogo mostra não somente a utilização da Minotauro para, mais uma vez, propiciar a dissimulação nos valores ilicitamente desviados do IPG como, também, comprovam que os recursos desviados da saúde eram superiores àqueles efetivamente utilizados. Na ocasião, Manoel repassa para Nicolas o que havia conversado anteriormente com Gilberto.


Pelo teor da conversa, depreende-se que Gilberto e Nicolas teriam acordado que três milhões de reais seriam desviados do Hospital Regional de Itaituba, tendo Gilberto dito a Manoel que “vai sair o combinado”, referindo-se ao acordo. Diante disso, Nicolas, aparentemente, acha pouco e não concorda com o desvio no valor de três milhões, reclamando com Manoel que “dos 8 milhões, só quero tirar 3? Ta doido é?. Manoel, então, responde: porque foi o combinado né?! cinco e meio para tocar e três e meio ele tira teu. O problema é que está atrasado, né?! Só saiu aquela uma parcela que dá o valor todo da campanha entendeu? Ainda tem os outros para ti receber lá, só que não saiu”.

Na sequência da conversa, Nicolas diz a Manoel que ainda falta Gilberto passar os valores referentes aos Hospitais de Campanha (provavelmente o de Santarém que, à época, era administrado pelo IPG) e pede para transferir naquele dia o valor que está disponível na conta do IPG (duzentos mil reais) para a conta da Minotauro, passando posteriormente os três milhões faltantes.


Após, Manoel encaminha para Nicolas o comprovante de quase duzentos mil reais transferidos da IPG para a conta da Minotauro, mas que, aparentemente não deu certo, havendo a necessidade de refazer a operação no dia 17 de agosto de 2020. No dia 18 de setembro de 2020, Nicolas pede para Manoel, via áudio de WhatsApp, que este entre em contato com Gilberto para que, do total de oito milhões de reais repassados ao IPG para administrar o Hospital Regional de Itaituba, fossem desviados cinco milhões.

Transcrição

Nicolas: “Manoel, cadê Gilberto? Não entrou o dinheiro do hospital de Itaituba, não?! Vamo ter que fazer um malabarismo com o dinheiro que vai entrar lá. Vou precisar de 5 milhões. Porque... O que aconteceu, o dinheiro que o doutor investiu, que foi quase 12, pra montar o hospital do IPG,ele pegou agora e descontou do meu, do acerto que eu tinha com ele. Ou seja, com todos os descontos ele ainda me deve uns 15 milhões. Ou seja, eu vou precisar de 5 milhões. Vai ter que dar um jeito de tocar o hospital com três e pouco esse mês. Vai entrar quanto? chama Gilberto pra reunião de urgência com ele”.

Em depoimento à PF, sobre o diálogo acima, Manoel disse em conversa datada em 18/09/2020, Nicolas encaminhou um áudio a ele pedindo que o mesmo falasse com Gilberto, do IPG, para que este devolvesse R$ 5 milhões, dos R$ 8 milhões que foram repassados para o Hospital de Itaituba. Manoel declarou ainda que esses R$ 5 milhões seriam repassados para campanha política de prefeitos do interior do Pará.

Em outra conversa, ocorrida nos dias 20 e 21 de agosto de 2020, Nicolas encaminha a Manoel, por meio do WhatsApp, vários comprovantes de transferência da Minotauro para Wlademir Pedro Dall Bosco. Estas transferências, provavelmente, decorrem de contratos de arrendamento das Fazendas Aurora, Ipiranga e Ipixuna pertencestes a Dall Bosco, demonstrando, dessa maneira, que a Minotauro não era utilizada para fins de lavagem somente como “conta de passagem”, mas de outras formas, a exemplo da aquisição patrimonial dissimulada.

623 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo