• O Antagônico

Parauapebas. O Gaeco. A Ana Maria. O Prefeito e a Busca e Apreensão

Atualizado: 20 de dez. de 2021



A promotora de Justiça Ana Maria Magalhães, coordenadora do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), comandou esta semana uma grande operação em Parauapebas. Os alvos de mandados de busca e apreensão foram as residências de Darci Lermen, prefeito da cidade e de Gilberto Laranjeiras, secretário Municipal de Saúde, além dos prédios da Prefeitura Municipal, onde funciona a Secretaria Municipal de Saúde e o Hospital Geral de Parauapebas.


A operação é resultante de investigação envolvendo aquisição de respiradores que custaram R$ 2,6 milhões. De acordo com os autos, também são investigados o Secretário Especial de Governo Keniston de Jesus Rego Braga e o secretário-adjunto de Saúde, Paulo de Tarso Vilarinhos. Os demais implicados são Cristiane Silva dos Santos, Fabiana de Souza Nascimento, Jocylene Lemos Gomes, Moisés Alves de Oliveira Neto, Wagner Isaac Júnior e Fabio Granieri de Oliveira, além das empresas Maxima Distribuidora de Medicamentos Ltda – EPP, Auramedi Farmacêutica Ltda – ME e Ultramed Distribuidora de Medicamentos Eireli.


Em nota, a Prefeitura de Parauapebas afirma que os equipamentos “estão sendo devidamente utilizados no Hospital Geral de Parauapebas (HGP), Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Unidades de Saúde” e que eles foram adquiridos “obedecendo especificações técnicas para atender os pacientes com complicações da covid-19”.


Sobre os valores, a gestão alega que “a adesão se deu em um momento de grande procura devido à pandemia, com base nos valores de mercado da época” e defende terem sido obedecidos os procedimentos e ritos legais.

300 visualizações0 comentário